Olimpíada de Língua Portuguesa

Escrevendo o Futuro

A principal iniciativa da Fundação Itaú Social para contribuir com a superação dos problemas na área de leitura e escrita foi a criação do Programa Escrevendo o Futuro, em 2002. Até 2007, mais de 3,5 milhões de alunos foram envolvidos nas atividades do programa. Em 2008, reconhecido como uma iniciativa importante para alcançar a melhoria da qualidade da educação pública, o Escrevendo o Futuro foi transformado em política pública de educação do governo federal e nomeado Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. A partir daí, passou a compor o Plano de Desenvolvimento da Educação, do Ministério da Educação (MEC).

A Olimpíada tem como objetivo contribuir para a formação de professores, tendo em vista a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. A proposta disponibiliza aos docentes da rede pública uma metodologia instigante, baseada no ensino e aprendizagem da língua por meio de gêneros textuais.

Esse amplo programa inclui fornecimento de material didático, que orienta as atividades com os alunos, cursos de formação (presenciais e à distância), seminários, espaços para troca de experiências e reflexão sobre a prática do ensino em sala de aula.

A coordenação técnica é realizada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) e o programa conta com a parceria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e do Canal Futura.

Como funciona

O programa está estruturado em duas fases:
- Nos anos pares, como estratégia de mobilização dos professores, é realizado um concurso de textos. Os professores do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio se inscrevem e, com a Coleção da Olimpíada em mãos, realizam atividades com os alunos. A Coleção é um material de apoio que propõe uma sequência didática para auxiliar o trabalho dos professores por meio de gêneros textuais (poesia, memórias literárias, crônica e artigo de opinião).

Os professores orientam seus alunos a produzirem textos com o tema “O lugar onde vivo” que são enviados às Comissões Julgadoras (escolar, municipal, estadual e regional e nacional). O programa premia os alunos, os respectivos professores e as escolas.

- Nos anos ímpares, o programa intensifica as atividades de formação direcionadas aos professores com diversas estratégias como seminários, cursos presenciais e à distância, espaços para reflexão sobre a prática pedagógica e entrega de material didático.

Assim que se inscrevem no programa, professores passam a receber a revista periódica Na Ponta do Lápis e também podem participar da Comunidade Virtual Escrevendo o Futuro, que foi criada para promover o encontro entre os participantes do programa em todo o País.

Olimpíada 2010

A edição 2010 da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro foi lançada no início de março, no Rio de Janeiro. Os números finais das inscrições indicam o sucesso do programa: mais de 7 milhões de alunos serão envolvidos na ação, 1 milhão a mais em relação à edição 2008.

Este ano, a Olimpíada chega a 5.488 cidades, atingindo cerca de 99% dos municípios do país. Ao todo foram computadas 239.435 inscrições de professores de 60.123 escolas de todo o Brasil. Os números revelam 37.155 inscrições de professores e 4.550 escolas a mais em comparação à edição 2008.

Todas as escolas públicas do país receberam a Coleção da Olimpíada. O material é composto de quatro pastas, uma para cada gênero textual, contendo o caderno de orientação do professor, uma coletânea de dez exemplares com textos literários e um CD-Rom que traz alguns dos textos lidos em voz alta e sonorizados. Por meio do CD também é possível imprimir ou projetar os textos da coletânea. Neste ano, todas as escolas públicas receberão a coleção completa.

Saiba mais em www.escrevendoofuturo.org.br.

Prêmios

Em 2009, a Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro foi contemplada com o Prêmio Corporate Citizen of the Américas Award, que reconhece projetos privados de combate à pobreza no continente, concedido pela Fundação pelas Américas, órgão da Organização dos Estados Americanos (OEA). O programa foi premiado na categoria Educação, que comporta projetos promotores do desenvolvimento por meio da educação.

Em 2005, o Escrevendo o Futuro recebeu o Prêmio Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), na categoria Organização, que destaca experiências, personalidades e organizações que ajudam o Brasil a avançar nas metas da Organização das Nações Unidas (ONU).

  Topo